New year wishes

 

IMG_0233Um novo ano novinho em folha para estrear e uma necessidade de renovação e mudança abismal. Parece que a viragem do ano nos toca a todos da mesma forma e prova disso são os mil desejos e planos para o novo ano que vamos vendo e ouvindo por todo o lado. Afinal, ainda comemos as 12 passas a acompanhar esta viragem e nelas depositamos os nossos desejos mais secretos e sonhos por realizar.

Acontece que muitos destes desejos que pedimos são muitas vezes irrealistas, vagos, pouco específicos, não mensuráveis e impossíveis de monitorizar… À excepção da saúde (e mesmo esta tem de ser cuidada), tudo aquilo que queremos para a nossa vida, tem de ser cultivado e estimulado. Caso contrário, parece que nada acontece.

Se queremos muito mudar de emprego, viajar mais, abrir um negócio, delinear o nosso corpo e ficar mais saudáveis, mudar de casa!! o momento de arregaçar as mangas é AGORA!

Mas desejar apenas não basta. Há que transformar cada desejo num objectivo. E como todos os objectivos, devem ter características que nos permitam avaliá-los. Parece uma abordagem um pouco fria e calculista de algo tão mágico certo? Mas é assim que a magia acontece.

Normalmente no marketing, dizemos que os objectivos devem ser SMART, o que significa que devem ser específicos, mensuráveis, atingíveis, realistas e com um prazo definido. Vejam abaixo:

  • Specific (simple, sensible, significant).
  • Measurable (meaningful, motivating).
  • Achievable (agreed, attainable).
  • Relevant (reasonable, realistic and resourced, results-based).
  • Time bound (time-based, time limited, time/cost limited, timely, time-sensitive).

Parece mais complicado do que na verdade é, e esta abordagem simplifica muito a nossa vida, acreditem. É mais fácil lutar por algo atingível do que por uma utopia.

Por isso, pode ser um bom exercício escrever todos os nossos desejos num papel, e detalhar o que realmente queremos. E o que vamos fazer para o alcançar (o que vamos mudar, o que vamos introduzir na nossa rotina, o que vamos eliminar?) . Trabalhar para que aconteçam. Fazer um plano – estabelecer um prazo. E acreditar que vai dar certo. E se não der à primeira, voltar a tentar, reinventar o caminho.

A Arqama nasceu precisamente de um sonho, que passou do papel para a realidade. Como um poema que de repente vira canção. Que 2018 seja um ano de investimento pessoal (porque somos tudo o que fazemos) e traga a todos o resultado das ambições boas que tiveram a coragem de deixar acontecer.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *